Mudança de regras pelo STF pode levar à derrubada da Lava Jato, diz Deltan Dallagnol

0
63


Ex-procurador criticou as decisões recentes dos ministro da Suprema Corte, falou sobre legalidade das ações da força-tarefa e defendeu a eleição de parlamentares que apoiem pautas anticorrupção

ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDOPré-candidato a deputado federal pelo Podemos, Dallagnol afirmou que a saída do MP foi uma “decisão difícil”

O ex-procurador da República, Deltan Dallagnol, entende que as recentes mudanças de entendimento feitas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) podem levar à derrubada da Operação Lava Jato. Na visão dele, os ministros têm praticado “uma série de decisões que trazem graves retrocessos no combate à corrupção”. “Essa decisão em relação ao ex-presidente Lula [de anulação das condenações], a gente vê com muita reserva. Ela não diz que alguma coisa na Lava Jato foi ilegal. Juntou a saída do ex-ministro Sergio Moro para o Ministério da Justiça, a liberação do áudio do ex-presidente Lula, o que aconteceu com todo mundo, juntou uma série de medidas que haviam sido feitas em relação a todos os réus da Lava Jato, que eram decisões legítimas, e criou uma interpretação de que houve uma suspeição”, iniciou Dallagnol, em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News.

“O STF tem mudado regras que não existiam na Lava Jato. Mudam as regras, aplicam para o passado e muda tudo. Estamos vendo um movimento de reação que pode levar à derrubada de toda a Lava Jato”, completou o ex-procurador, que vê na Suprema Corte a máxima de “não punir, não deixar punir e punir quem pune”. A respeito da decisão do STF de arquivar o inquérito contra membros da força-tarefa, Deltan Dallagnol afirmou que a decisão não surpreende os envolvidos. “A conclusão é o que sempre dissemos: que nunca praticamos ilegalidades, sempre atuamos dentro da lei e isso se confirmou com essa apuração, ainda que tenha sido uma apuração ilegal do STJ”, acrescentou.

Pauta anticorrupção

O ex-procurador do Ministério Público também falou sobre as eleições deste ano. Pré-candidato a deputado federal pelo Podemos, Dallagnol afirmou que a saída do MP foi uma “decisão difícil”, mas necessária. “Temos que dar um passo à frente e mudar as coisas onde elas precisam ser mudadas, que é na arena política, onde acontece o combate à corrupção”, reforçou. A proposta de Deltan é formar um grupo na Câmara dos Deputados que tenha como prioridade as ações de combate à corrupção no país. “Tenho consciência que uma única pessoa não faz nada sozinha, então queremos contribuir para a gente colocar grande número de deputados e senadores no Congresso que tenham características em comum, que tenham compromisso com pautas anticorrupção e apoiem a democracia.”





Source link

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui