Copa do Catar tem ‘pacote básico’ de R$ 40,5 mil e risco de escassez de ingressos

0
155


Faltando menos de um ano para a competição, agência de viagem oferece opções com hotel cinco estrelas, bebidas nos estádios e acesso a jogos e eventos; preços vão até R$ 237 mil

EFE/Fenwick Iribarren ArquitectsPacotes foram lançados em abril de 2021, podendo ser divididos em 12 vezes e pagos em reais

Os brasileiros já se preparam para viajar ao Catar em 2022 para a próxima Copa do Mundo. Pela primeira vez na história do evento, a competição será disputada no final do ano, em razão do intenso calor da região na época do verão. Além disso, outra novidade é que os torcedores poderão acompanhar, pela primeira vez, quatro jogos no mesmo dia na fase de grupos, uma das mudanças anunciadas pela Fifa. Para os interessados em acompanhar o Brasil rumo ao hexa, os ingressos são adquiridos por meio de pacotes de hospitalidade. Silvio Ferraz, diretor de uma agência de viagens, explica as opções e vantagens, entre elas o pagamento parcelado.

“Estamos vendendo sete módulos, um para cada jogo, e eles se compõem em quatro noites de hotel em Doha, um ingresso para um jogo aleatório, que a gente escolhe para o torcedor poder ver, um evento para a pessoa ver um jogo fora do estádio e também um ingresso para o jogo do Brasil que a pessoa pode adquirir na categoria que ela quiser do pacote”, detalha. O pacote mais básico custa US$ 7.105, cerca de R$ 40.500. A cada módulo adicional são mais quatro noites pelo valor de US$ 7 mil. Para os torcedores que pretendem acompanhar toda a Copa do Mundo no Catar, o valor será de US$ 48 mil, algo em torno de R$ 273 mil, embarcando em 20 de novembro e voltando ao Brasil apenas em 19 de dezembro.

Os pacotes de hospitalidade permitem bebidas alcoólicas nos estádios e hotel exclusivo cinco estrelas para brasileiros. Por ser um país pequeno e a hotelaria de Doha restrita, as seleções vão dividir os hotéis com os torcedores. Silvio Ferraz alerta que é bom os brasileiros começarem a se programar, porque há risco de falta de ingressos. “A demanda global pelos ingressos está maior do que na Rússia, em velocidade de compra. Então imaginamos que daqui a pouco teremos escassez de lugar para os brasileiros. A gente sabe que o brasileiro é um fã, vai tentar ir, tinha muita gente na Rússia, vai participar dos sorteios lá em abril, vai tentar ir de várias formas diferentes, mas a disponibilidade de hotelaria é mais concentrada”, pontua.

Os pacotes foram lançados em abril de 2021, podendo ser divididos em 12 vezes e pagos em reais. Pela antecedência, Silvio Ferraz aponta que as vendas estão superiores às da Copa da Rússia. “A gente tentou lançar antes para a pessoa poder se programar com mais tempo para a viagem. Então fizemos o lançamento anteriormente, mas a pandemia atrapalhou um pouco, porque as pessoas tinham dúvida do que estaria acontecendo. Essa dúvida está caindo, as pessoas estão vendo que conseguem viajar, estão indo para a região do Catar, dos Emirados Árabes”, pontua o diretor, que explica também a mudança no perfil dos torcedores que acompanham o evento presencialmente.

“A gente espera uma diversidade muito maior na próxima Copa. Antigamente, eram amigos homens, agora são vários casais, várias famílias, avô, neto, pai. Então, isso mudou muito e acreditamos nessa diversidade cada vez maior”, completa. Faltando menos de um ano para o início do evento, Silvio Ferraz de viagens já afirmou que existem torcedores brasileiros que compraram pacotes para acompanhar o torneio inteiro.

*Com informações do repórter João Vitor Rocha





Source link